Representações de Violência Escolar de alunos da educação básica

Resumo: Este projeto se configura como uma parceria entre pesquisadoras de dois programas de Pós-Graduação: o Programa de Pós-Graduação em Segurança Pública, vinculado à Universidade Vila Velha, e o Programa de Pós-Graduação em Psicologia, vinculado à Universidade Federal do Espírito Santo. Trata-se de uma iniciativa que visa investigar questões relativas ao fenômeno da violência, tema complexo e presente em diferentes contextos, entre eles, a escola. Apesar de profissionais de diferentes áreas de conhecimento estarem buscando contribuir para com a discussão desse fenômeno, verifica-se que ainda há aspectos pouco investigados; entre eles, os diretamente ligados à escola. Considerando tais lacunas, este estudo se configura como uma pesquisa exploratória que pretende investigar como o fenômeno da violência escolar é compreendido por estudantes da Educação Básica de escolas públicas, localizadas em Vitória e Vila Velha, ES. Farão parte do estudo: 20 alunos da Educação Infantil, 20 alunos do primeiro ciclo do Ensino Fundamental, 20 alunos do segundo ciclo do Ensino Fundamental e 20 alunos do Ensino Médio. Metade da amostra será coletada em Vitória e a outra metade em Vila Velha. O método de coleta de dados foi desenvolvido em uma perspectiva prioritariamente qualitativa; mas que também considerará a análise quantitativa, no que se refere à análise de frequência simples de respostas. Os dados serão levantados através da aplicação de questionários e entrevistas que pretendem verificar: (a) como os alunos compreendem o fenômeno da violência; (b) quais formas de violência os discentes conseguem identificar, dentre as apresentadas nos instrumentos; (c) se a violência está presente na escola investigada, na perspectiva dos estudantes participantes e como estes lidam com ela. No caso da coleta de dados junto aos alunos da Educação Infantil e ao primeiro ciclo do Ensino Fundamental, serão realizadas entrevistas para: verificar a representação de violência do aluno a partir de um roteiro prévio de perguntas com base no método clínico; verificar se o aluno reconhece e identifica a violência em histórias que lhe serão apresentadas; verificar se a violência já foi praticada, vista ou sofrida pelo aluno e como o mesmo se sentiu. No caso dos participantes do segundo ciclo do Ensino Fundamental e os do Ensino Médio, serão aplicados questionários compostos por: A) questões abertas, no formato de sentenças incompletas, que contemplam as temáticas da violência, da violência escolar, e do bullying; B) situações-problema que serão analisadas pelos alunos de modo a escolher, dentre as opções do instrumento, o quanto concordam ou discordam dessas situações representarem uma violência; C) questões de múltipla escolha que retratam possíveis experiências dos participantes com episódios de violência escolar na condição de praticante, vítima ou expectador de atos violentos. Além disso, os participantes deverão opinar sobre o quanto se importam com a questão da violência escolar e de quem é a responsabilidade pela sua ocorrência. Espera-se que os resultados possam subsidiar a reflexão dos agentes escolares, contribuindo para com a implementação de ações no sentido de minimizar a violência escolar.

Data de início: 2018-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem crescente Nome
Coordenador Claudia Broetto Rossetti
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910