O comportamento de uso de Internet e sua relação com estilos de autoconsciência em universitários: contribuições da Meditação Mindfulness e da Gestalt-Terapia.

Nome: Andrea Loss Nunes
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 26/02/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Mariane Lima de Souza Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Claudia Patrocinio Pedroza Canal Examinador Interno
Jorge Ponciano Ribeiro Examinador Externo
Kely Maria Pereira de Paula Examinador Interno
Mariane Lima de Souza Orientador
Víviam Vargas de Barros Examinador Externo

Resumo: RESUMO
Estudos recentes sobre o uso de internet vêm apontando, ao lado dos aspectos positivos, aspectos negativos que estão relacionados a transtornos psicológicos graves. Considerando o impacto das tecnologias de informação sobre o comportamento humano, é razoável supor que diferenças individuais no estilo de autoconsciência e na capacidade de autorregulação sejam fatores importantes para mediar uma relação mais ou menos saudável entre o ser humano e as tecnologias de informação, como o uso de internet. Diante disso, o objetivo geral desta pesquisa
é verificar a associação entre o uso de internet e estilos de autoconsciência e desenvolver a adaptação de um programa baseado em meditação mindfulness para universitários que fazem uso moderado de internet. Para tanto, se propôs a realização de três estudos sequenciais, que são apresentados no formato de três artigos. O Artigo I, denominado “Associação entre autoconsciência ruminativa e uso de internet em universitários”, teve o objetivo de verificar a correlação entre o
nível de uso de internet e estilos de autoconsciência ruminativa e reflexiva, por meio de pesquisa quantitativa com a participação de 450 adultos jovens universitários, de 18 a 25 anos de idade. Os resultados indicaram uma correlação significativa positiva entre o nível de uso de internet e a autoconsciência ruminativa. O Artigo II, denominado “Meditação mindfulness e uso de internet na percepção de jovens
universitários”, teve o objetivo geral de descrever a percepção de jovens
universitários que fazem uso moderado de internet, sobre sua participação em um programa com base na técnica de meditação mindfulness. Trata-se de estudo qualitativo, seguindo os critérios de análise da fenomenologia-semiótica. Os participantes foram estudantes universitários (N=3), de ambos os sexos, selecionados por conveniência, com idade cronológica de 18 a 25 anos, que participaram de um programa baseado em meditação mindfulness. Os resultados
sugeriram a aceitação dos aspectos negativos e positivos de si como eixo estruturante para o uso controlado de internet. Por fim, o Artigo III, intitulado “Meditação mindfulness e Gestalt-terapia: um encontro possível para a saúde humana”, objetivou identificar possibilidades de interlocução teórico-práticos entre a técnica Meditação Mindfulness e a abordagem psicológica Gestalt-terapia. Buscou-se identificar, comparar e contrastar os termos que lhes são comuns e conceitos encontrados em seus respectivos arcabouços teórico-práticos. Apesar desses conceitos terem seus significados constituídos em suas diferentes teorias, foi possível identificar uma interlocução a partir do delineamento de três eixos integrativos: (1) autoconsciência integradora, (2) autoconsciência funcional e (3) autorregulação espontânea. As considerações finais da tese sugerem que o uso descontrolado de internet poderá ser evitado ou tratado, à medida que houver um olhar globalizante sobre o ser humano. Essa perspectiva corrobora a proposta da Meditação mindfulness e a proposta da psicologia clínica Gestalt-terapia, pois ambas apontam o olhar sistêmico como caminho crucial para o desenvolvimento
humano em todos os seus aspectos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910