A todo vapor, sem pensar e distraído: relação entre afetividade e inteligência em crianças com Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade

Nome: Daniela Dadalto Ambrozine Missawa
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 01/09/2017
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Claudia Broetto Rossetti Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Claudia Broetto Rossetti Orientador
Claudia Patrocinio Pedroza Canal Examinador Interno
Claudimara Chisté Santos Examinador Externo
Simone Chabudee Pylro Examinador Externo

Resumo: Esta tese se propôs a avaliar as relações entre afetividade e inteligência em crianças com TDAH e seus responsáveis por meio de uma intervenção psicológica em oficinas de jogos de regras. As perspectivas teóricas que serviram de base para a compreensão dos fenômenos estudados foram os escritos de Piaget e as pesquisas acerca das Funções Executivas (FEs). Participaram da pesquisa oito crianças de ambos os sexos (quatro meninos e quatro meninas) com o diagnóstico sugestivo de TDAH juntamente com um responsável de cada, totalizando 16 sujeitos. As crianças selecionadas passaram por uma avaliação neuropsicológica realizada por estagiários em uma clínica de Psicologia em uma Universidade da Grande Vitória e foram reunidas em dois grupos. O grupo de pais foi composto por sete mães e um pai. Os procedimentos de coleta de dados envolveram oficinas com jogos de regras, entre maio e novembro de 2015, semanalmente com as crianças e quinzenalmente entre crianças e pais, ou seja, as crianças estiveram presentes em todas as oficinas propostas e os pais em metade delas. Os jogos utilizados foram: Dominó, Tangran, Jogo da Memória, Quebra-cabeça, Quatro Cores, Jogo do Mico, Pega Varetas®, Uno®, Lig-4®, Quem sou eu? Cara a cara®, Cilada e Lince. As oficinas foram estruturadas de forma que inicialmente conversávamos sobre como os participantes estavam se sentindo naquele momento, logo após apresentávamos e explicávamos as regras do jogo que seria utilizado certificando-nos de que todos haviam compreendido as regras por meio de exemplos práticos e então iniciávamos as partidas. Em algumas oficinas foram apresentadas às crianças protocolos com situações-problema referentes ao jogo utilizado. Desenvolvemos quatro estudos em que cada um correspondeu a um objetivo específico proposto. Nos estudos 1 e 2 são apresentados os dados referentes às condutas dos participantes durante as oficinas com jogos de regras. Em ambos os estudos foram discutidas as relações entre afetividade e inteligência em crianças com TDAH por meio da observação das conexões entre as condutas analisadas. O estudo 3 situa a questão de como a participação dos pais, juntamente com os filhos, nas oficinas com jogos influencia na avaliação parental dos aspectos cognitivos e afetivos dessas crianças. O artigo foi construído com base na compreensão de que a percepção dos pais constitui uma importante influência no desenvolvimento cognitivo e afetivo dos seus filhos. No estudo 4 foram discutidas as questões relativas ao processo de tomada de consciência conforme descrito na teoria piagetiana por meio da utilização de situações-problema com base nos jogos: Cara a cara®, Quatro cores, Dominó e Lig-4®. Os estudos desenvolvidos nos conduzem a conclusões que corroboram os postulados de Piaget com relação à impossibilidade de existência de situações apenas cognitivas ou afetivas, pois observamos que durante as oficinas com jogos de regra, muitas vezes a criança compensava as limitações cognitivas com interesse e força de vontade para vencer o desafio proposto. Uma das principais contribuições da tese é o deslocamento da afetividade do papel de coadjuvante no processo de desenvolvimento dos indivíduos e sua inclusão, de forma sistemática, em estreita relação com os aspectos cognitivos.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910