O CAPSIJ como lugar de cuidado para crianças e adolescentes em uso de substâncias psicoativas.

Nome: Kelly Guimarães Tristão
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 27/02/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Luziane Zacché Avellar Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Bruna Lidia Tano Examinador Externo
Célia Regina Rangel Nascimento Examinador Interno
Luziane Zacché Avellar Orientador
Maddi Damião Junior Examinador Externo
Scheila Silva Rasch Examinador Externo

Resumo: O uso abusivo de substâncias psicoativas (SPA) por crianças e adolescentes apresenta-se como
um grande desafio para as políticas públicas de saúde mental infantojuvenil (SMIJ). Tal
situação requer a estruturação de novos saberes e novas práticas de cuidado. Objetivou-se nesta
tese compreender o lugar da criança e do adolescente em uso de SPA nas estratégias de cuidado
em SMIJ em um serviço. Para tanto, a metodologia inspirou-se na proposta denominada
Avaliação de Quarta Geração, desenvolvida por Guba e Lincoln (2012). A pesquisa foi
realizada em um CAPSij de uma cidade do Sudeste do Brasil, e utilizou-se como instrumento
de coleta, a observação participante, entrevistas e grupos com 10 profissionais do serviço, e
entrevistas com 6 adolescentes acompanhados no CAPSij. Os dados foram analisados a partir
do método comparativo constante (Glaser e Strauss adaptado por Guba e Lincoln, 2012) e da
análise de conteúdo na modalidade de análise temática (Minayo, 1994), e foram discutidos a
luz da Psicologia Analítica, dos principais pressupostos da Reforma Psiquiátrica e da literatura
referente a SMIJ. Obteve-se 5 eixos temáticos: no Eixo 1, discutiu-se as ações de cuidado
direcionadas ao público AD infantojuvenil, a partir do olhar e das ações dos profissionais no
CAPSij. No eixo 2, obteve-se as principais características do cuidado direcionado ao público
AD no CAPSij, a partir das falas e das ações dos profissionais do CAPSij. No eixo 3 discutiuse
as concepções de cuidado e a percepção das ações de cuidado aos adolescente em uso de
SPA pelos próprios usuários. No eixo temático 4 analisou-se como os profissionais do CAPSij
compreendem o lugar da criança e do adolescente em uso de SPA no cuidado em saúde mental
e no eixo 5 discutiu-se como o adolescente em uso de SPA entendem e buscam o lugar de
cuidado, a partir do olhar dos próprios adolescentes. Conclui-se que a existência do lugar de
cuidado não é fixa, mas depende de como é realizado, compreendido e recebido o cuidado e
como se dão os processos relacionais estabelecidos no CAPSij com a criança e adolescente em
uso de SPA, apontando para um “Lugar Relacional”. As partir das relações terapêuticas
construídas no CAPSij esse pode ser compreendido como temenos, o lugar seguro e
potencialmente terapêutico, onde o processo de transformação e desenvolvimento dos sujeitos
podem ser sustentados. Isso só é possível a medida que o olhar do serviço dirigido aos
adolescentes não é distorcido pelos complexos culturais que circunscrevem o grupo de
“adolescentes usuários de droga”. Assim, ao passo que profissionais enxergam o adolescente
em sua totalidade, e não a partir dos estereótipos, é possível estabelecer com ele um vínculo
10
terapêutico, a partir de onde é possível se constituir um temenos, ou seja, construir um lugar
para a criança e o adolescente no cuidado.
Palavras chave: 1. Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil. 2. Saúde
mental infantil. 3. Adolescentes. 4. Drogas. 5. Psicologia
junguiana.
Área e sub-área do CNPQ
7.07.00.00-1 Psicologia
7.07.10.00-7 Tratamento e Prevenção Psicológica
7.07.10.01-5 Intervenção Terapêutica
7.07.10.02-3

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910